Repositório de recursos e documentos com interesse para a Genealogia

Logo

  • Primeiros passos em Genealogia: como começar, onde pesquisar, recursos disponíveis e outras informações.

  • Apelidos de família: de onde vêm, como se formaram.

  • Índices de passaportes, bilhetes de identidade, inquirições de genere e outros.

10 de maio de 2016

10 de maio de 2016 por MC Barros comentários

Colecção de assentos encontrados "aqui e ali" e que, pela sua invulgaridade, linguagem, ou simples nota de humor - ou ainda por abrirem uma janela para as mentes do passado - achamos por bem reunir. Outros mais se seguirão, na melhor oportunidade. (Clicar nas imagens para aumentar).


Nº. 7

Visionários - Guarda

Padres do distrito da Guarda, bem à frente do seu tempo, já usavam emojis. Úteis, sobretudo, quando não se lembravam do nome da criança.
- partilhado por Rui Rocha, 21/12/2015, sem indicação da fonte

Casar, a bem ou a mal - S. Salvador de Castelões, 6/12/1710

«.. ele dito António Ferreira por não querer receber à sobredita Ana de Magalhães andou declarado por público excomungado e esteve preso no aljube do Porto e de lá se foram receber ambos na Sé da cidade do Porto conforme consta de um recurso que me apresentou cujo traslado de verbo ad verbum é o seguinte: O Doutor Diogo Marques Mourato provisor e vigário geral neste Bispado do Porto pelo Ilustríssimo Senhor Bispo governador das justiças e Armas ... mandou à igreja e ofícios divinos a António Ferreira seu freguês porquanto está recebido em face da igreja da Sé desta cidade com Ana de Magalhães da dita freguesia a qual o fez prender e meter no aljube, por não querer dar cumprimento às promessas de casamento por cuja causa o fez declarar de que já está absolvido pelo Reverendo Pároco desta Sé, e pagou as rebeldias que devia do tempo em que foi declarado, e se juntou aos autos a certidão de recebimento que se fez aos sobreditos para assim constar e se não proceder contra o suplicante se passou a presente...»
- partilhado por Victor Ferreira 1/12/2015, sem indicação de fonte


Assinaturas -  Venade, 1579

Alguns exemplos de assinaturas de quem não sabia ler nem escrever.
- Partilhado por Nunes Beirão, 22/11/2015 - Casamentos, 1565-1620, tif 16

Enterração em vida - Caldelas, Guimarães, 16/3/1605

«Aos 16 dias de Março de 1605 anos Maria Gonçalves do Carregal estando viva, sã e valente mandou fazer sua enterração com dez padres com suas missas e o ofício e o ofertório.»
Na margem: "viva, tem cumprido"
- Partilhado por MC Barros, 27/10/2015, AMAP P-158

Não queria ser dado por pai - 1789, Ferreiros de Tendais, Cinfães

Assento de baptismo, acompanhado de uma declaração do padre, a qual não é autorizada, "sem ordem nossa" a constar de certidão.

«... baptizou solenemente, e pôs os Santos óleos a Maria filha de Ana solteira do lugar da Aldeia desta freguesia, neta, digo, e de José Martins solteiro do mesmo lugar (...).

[=Sem ordem nossa ... certidão desta declaração ]

Declaro por escrúpulo de ... e a impulso de caridade, que eu declarei por pai da sobredita criança a José Martins, chamado o Alferes de Aldeia, não obstante vir-me maliciosamente pedir o não pusesse por pai, porque é certo, público, e sem a menor dúvida, que ele é o pai da dita criança: e devo certificar e certifico com juramento in verbo sacerdotis que este homem há muitos anos anda amancebado com a dita Ana mãe da menina, de que faz menção o assento supra; tida, e manteúda, em uma casa e rua quase pegada à casa em que ele habita. Esta mancebia é notória, e escandalosíssima em toda a freguesia e sem ser bastante para os emendar toda a muita pastoral vigilância e apostólico zelo; porque com inaudita incorrigibilidade tem sempre iludido as muitas visitações e repreensões. Tem tido da dita amiga quatro filhas: a primeira chamada Ana Joaquina que ela pariu no Porto conduzida por ele; e pôs a criar na Roda, dando por sinal com o maior atrevimento o meu sobrenome. A segunda chamada Joaquina, pariu ela no lugar da Aldeia, em que habita; mas ele a levou furtivamente a baptizar na freguesia de Oliveira do Douro, e a pôs a criar em Paredes em casa de Manuel da Mouta. A terceira chamada Maria nasceu também em Aldeia mas ele a levou para Aregos a baptizar, e criar. A quarta é a dita que faz menção o assento supra. Tudo o que acabo de escrever não padece a menor dúvida. Ferreiros, 18 de Abril de 1789.
O Abade Bento Pinheiro da Costa»
- Partilhado por António José Mendes, 15/8/2015, Mistos 1775-1803, tif  98/99

Nem sangue nem criação - S. Simão de Azeitão, 1681

«Aos nove do mês de Março me despachou o Príncipe por Prior da Vila de Grândola; e no mesmo ano larguei esta Igreja de S. Simão com grande gosto por me livrar dos vilões desta freguesia onde o sangue é pouco, e a criação nenhuma; e suposto não haja terra que não tenha bem, e mau, esta nada tem bem como os meus sucessores experimentarão. O Doutor Baltazar Correia Pinto»

(Recorde-se que bem perto havia diversos palácios de gente nobre, mas especialmente na paróquia vizinha, de S. Lourenço. Esta diferença de fregueses deve ter ocasionado tal azedume).

Segue-se o comentário do visitador:
«Este Doutor ... pudera escusar de fazer este assento e lhe advertir que os párocos não hão-de desonrar os fregueses porquanto além de ser crime da visita, é contra a caridade e contra a cortesia que os párocos devem guardar a seus fregueses e assim como eu me escandalizei o podem fazer fazer todos os que virem este assento. S. Simão 18 de Maio de 1682. O Padre P. Rodrigues Grilo»
- Partilhado por Maria Isabel Frescata Montargil e Luís Pascoal, ADSTB, Casamentos 1678-1723, tif  6

Tanto latim e no fim... Poenitentiae*- Ferreiros de Tendais, Cinfães, 1790

«Aos treze dias do mês de Maio de mil setecentos e noventa depois de serem denunciados nesta Matriz de São Pedro de Ferreiros de Tendais, Bispado de Lamego, inter Missarum Solemnia, et in tribus diebus festivis continuis, segundo a determinação do Tridentino, e Pastorais Diocesanas, sem algum impedimento, e certificado do consentimento dos que o deviam dar, se receberam in facie Ecclesia, e na minha presença por palavras de presente, por marido, e mulher este assento não se acabou, porque estando para se receberem, arrependeram-se.»
- Partilhado por António José Mendes, 24/6/2015,  Mistos 1775-1803, tif  493

*Arrependimento


Na dúvida, é dos dois - Melres, 1691

«Pedro filho de Catarina Martins viúva (...) e ela dita Catarina Martins disse que tivera cópula com Domingos de Moura da mesma freguesia e com Pantaleão João (...).»
Averbado: «Eu o Padre Estevão Moreira cura desta freguesia declaro que neste assento Catarina Martins viúva não deu a seu filho Pedro pai determinadamente porque teve ajuntamento com dois homens como consta do assento, e como foi quase no mesmo tempo disse que não sabia de qual deles concebera mas que lhe parecia ser de Domingos de Moura.»
- Partilhado por Madalena Campos, 27/1/2016, ADPRT,  Misto nº. 2 1660-1695, tif 539

Sem papas na língua, Mortágua, 1835

«Aos vinte e nove dias do mês de Março de mil oitocentos e trinta e cinco baptizei solenemente e pus os Santos Óleos a João filho de outro filho da puta e de Maria Brêda do lugar do Freixo desta freguesia. Neto paterno de Tomásia Maria e de avô incógnito ...»
- Partilhado por Cristina Martins Valente, 21/3/2016, ADVIS Baptismos 1830-1849, tif 23

Isaac Newton, Cedofeita, Porto, 1864

«... Francisco que nasceu nesta freguesia de Cedofeita (...) filho legítimo primeiro do nome de Isaac Newton de profissão caixeiro guarda-livros e de Dona Ana Emília Newton (...) neto paterno de Isaac Newton e de Dona Maria Ludovina de Aguilar Newton...»
- Partilhado por Cristina Martins Valente, 6/4/2016, ADPRT Baptismos 1864



Publicado em:

0 comentários:

Enviar um comentário

Biblioteca
Videoteca