Repositório de recursos e documentos com interesse para a Genealogia

Logo

  • Primeiros passos em Genealogia: como começar, onde pesquisar, recursos disponíveis e outras informações.

  • Apelidos de família: de onde vêm, como se formaram.

  • Índices de passaportes, bilhetes de identidade, inquirições de genere e outros.

27 de julho de 2014

27 de julho de 2014 por Manuela Alves comentários
O ponto de partida
Partindo do princípio que não tem quaisquer informações, deve pedir numa Conservatória do Registo Civil uma cópia não certificada do seu registo de nascimento (1€/folha). Nesse registo constam os nomes dos seus pais e avós e respectivas naturalidades.
Tente obter registos semelhantes do nascimento dos seus pais. Nestes já constarão os nomes e naturalidades dos seus bisavós.
Não é necessário deslocar-se à Conservatória de origem, pode pedir as cópias não certificadas através da Conservatória do seu local de residência.

Andrew Bret Wallis/Getty Images


Os passos seguintes
Quando tiver esses dados,  pode continuar a sua pesquisa para datas anteriores a 1911 através dos registos paroquiais (baptismos, casamentos e óbitos), de geração em geração, que se encontram nos Arquivos Distritais, embora em alguns concelhos estejam nos arquivos municipais., como é, por exemplo, o caso de Guimarães.

Muitos destes documentos já foram digitalizados e são acessíveis através da internet, pelo que pode aceder a eles pesquisando nas páginas dos arquivos respectivos os livros da "paróquia de..." para o período cronológico em causa ou, mais facilmente, acedendo aos livros através das páginas feitas por João Ventura (http://tombo.pt/), que são regularmente actualizadas com as digitalizações disponibilizadas on-line pelos Arquivos. O sítio criado por Rita van Zeller (http://www.quinta-do-mosteiro.com/linksparq.htm.), embora tenha sido descontinuado para as ligações com as fontes paroquiais, continua fundamental pelas ligações que proporciona a sítios de outras pesquisas com interesse genealógico.

Dicas de investigação
Para recuar através dos registos paroquiais, normalmente, faz-se uma média de 25 anos para cada geração, e procura-se o registo pretendido neste período, mas um casal pode ter filhos muito novo ou já com uma certa idade.
No registo de baptismo consta apenas o nome próprio das crianças (mesmo que tivessem mais do que um, o mais geral é ser registado apenas o primeiro), pelo que ao efectuar esta pesquisa deve confirmar sempre se os nomes dos pais e respectivas naturalidades são coincidentes. É comum haver na mesma freguesia e época mais do que uma pessoa com os mesmos nomes e por isso não deixe de tomar nota do lugar onde residiam na freguesia, pois muitas vezes é a única maneira de distinguir os homónimos.

Recuar através dos registos de casamento é uma abordagem mais expedita, dado que é menor o número de registos, e contêm os elementos identificativos da ascendência do casal (os mais antigos são omissos neste aspecto) e um ponto cronológico de referência para o nascimento da respectiva prole. A dificuldade poderá residir no facto do casamento ter sido feito noutra freguesia, que ignoramos, geralmente a da noiva. Uma pista para a sua descoberta poderá estar na indicação das naturalidades dos padrinhos dos filhos, que, nos meios rurais, eram normalmente escolhidos entre os familiares próximos.

Nomes e apelidos
Não fique desnorteado se encontrar nomes diferentes para o mesmo individuo ao longo da sua vida. Registe-os e anote os eventos a que estão ligados.
O nome completo, isto é com apelidos, só aparece normalmente na altura do casamento e não havia regras para a sua composição, pelo que é muito vulgar filhos do mesmo casal usarem diferentes apelidos, muitas vezes não usados pelos pais e que só vamos encontrar em gerações anteriores ou até nunca encontrar.
A adopção de apelidos relacionados com a naturalidade é também frequente e servia de elemento diferenciador entre indivíduos. Muitos apelidos, Guimarães ou Braga, para citar de cor, têm esta origem. Para saber mais sobre os apelidos, leia também Nomes e apelidos em Portugal: algumas notas.

Veja também:
Como Iniciar a Investigação Genealógica em Portugal - Parte II
Dicas para Principiantes
Publicado em: ,

5 comentários:

  1. Óptima informação ! Parece-me que é por aqui que vou começar. Não tenho conseguido pistas para fazer a pesquisa que me interessa. Muito obrigada

    ResponderEliminar
  2. Óptima informação ! Parece-me que é por aqui que vou começar. Não tenho conseguido pistas para fazer a pesquisa que me interessa. Muito obrigada

    ResponderEliminar
  3. O meu filho foi batizado na igreja da Se em Beja, e preciso da 2 via da certidão de batismo. Como posso pedir e onde.

    ResponderEliminar
  4. O meu filho foi batizado na igreja da Se em Beja, e preciso da 2 via da certidão de batismo. Como posso pedir e onde.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Joana, se for registo de baptismo pede directamente à Sé de Beja, se quer certidão de nascimento pede numa conservatória perto de si.

      Eliminar

Biblioteca
Videoteca