Repositório de recursos e documentos com interesse para a Genealogia

Logo

  • Primeiros passos em Genealogia: como começar, onde pesquisar, recursos disponíveis e outras informações.

  • Apelidos de família: de onde vêm, como se formaram.

  • Índices de passaportes, bilhetes de identidade, inquirições de genere e outros.

14 de setembro de 2015

14 de setembro de 2015 por Maria do Céu Barros comentários
Recolher informações de arquivos 

A pesquisa online, para além de ser mais confortável e não ter horário (está sempre acessível), tem também a vantagem de permitir o download dos registos para juntarmos à nossa árvore. Há, no entanto, ainda muito trabalho a ser feito nessa área pelos arquivos. Irá encontrar frequentemente registos paroquiais que não se encontram ainda disponíveis na Internet. Nesse caso terá de se dirigir ao arquivo onde esses registos estão depositados. Antes de o fazer, leia as regras de consulta de documentos, do arquivo ao qual pretende dirigir-se, no respectivo site online.

Regra geral, não é permitido o uso de telemóveis ou máquinas fotográficas nas salas de consulta, pelo que terá de solicitar, e pagar, fotocópias dos registos que lhe interessarem, caso deseje uma cópia. Isto, dependendo da quantidade de registos que encontra, pode tornar-se dispendioso. Por esse motivo, é mais prático copiar as informações para um caderno, não se esquecendo de anotar a fonte.

Fontes

Como é comum dizer-se entre genealogistas, a Genealogia sem fontes é mitologia. Documente tudo com as respectivas fontes pois só assim o seu trabalho será credível.

A descrição da fonte deve incluir, no mínimo, os seguintes elementos:
- Título: o nome pelo qual é conhecida documentação, ou obra consultada
- Autor
- Repositório: o local onde se encontra a documentação (Ex: Arquivo Distrital do Porto)
- Referência ou cota da obra no arquivo
- N.º das folhas, ou páginas, onde pode ser encontrada a informação.

Pode ler mais sobre fontes em Referências às fontes em programas de Genealogia..

Bases de dados

Depois de iniciarmos a nossa pesquisa genealógica, rapidamente nos vemos confrontados com uma quantidade crescente de dados. Os avós vão duplicando de geração em geração e frequentemente, sobretudo quanto mais se recua, dada a escassez de informações para essas épocas, é necessário seguir também os colaterais pois os seus baptismos, casamentos e óbitos podem conter informações que ajudam a completar a dos nossos antepassados directos.

Por esse motivo, há que pensar em formas de organizar os dados que vamos recolhendo. Existem ferramentas que permitem fazê-lo, algumas grátis em versões mais simples, outras é necessário comprar. Uma das mais populares, mas também mais simples, é o MyHeritage Family Tree Builder, que possuí uma versão grátis, fácil de usar, mas existem outras, como o Legacy, também bastante utilizado, com a vantagem de ter uma boa tradução em português, ou o My Family Tree. Há ainda software Open Source, como o Gramps. A escolha da ferramenta depende muito do utilizador, mas todas elas permitem a exportação e importação da base de dados (formato GEDCOM), pelo que não é difícil mudar de programa se encontrar outro de que goste mais.

Introdução de dados no Legacy (clique na imagem para aumentar)

Vista da árvore de costados no Legacy

Entre os diversos programas existentes, grátis ou não, aqui fica uma lista daqueles que são utilizados pelos membros do grupo do Facebook GenealogiaFB que responderam a um inquérito realizado em 6/8/2015, por ordem de popularidade. Podem obter informações sobre cada um destes programas através de uma pesquisa no Google.

MyHeritage Tree Builder
MyHeritage Online
Legacy 
PAF 
FamilySearch 
Gramps 
MS Office (Excel, Access, Word, etc.) 
RootsMagic
Ancestry
TMG
My Family Tree
Family Tree Maker
MacFamilyTree
Brother's Keeper
Webtrees
GeneWeb
Family Historian
The Complete Genealogy Builder
Cumberland Family Tree
AutoCAD
TribalPages
GenoPro 

Precauções a ter com os serviços online

Se optar por utilizar um serviço online para construir a sua árvore, tenha em conta que a informação que partilha nesse serviço poderá já não ser apenas sua propriedade. Alguns serviços online utilizam os dados e imagens, lá colocados pelos utilizadores, para atrair outros potenciais clientes, tornando-os, ou parte deles, públicos na web, ficando assim acessíveis a qualquer pessoa através dos motores de pesquisa. Podem, inclusive, vender parte desses dados a parceiros. 

Tenha também em atenção que, no caso de serviços online grátis, poderá existir um limite para o número de pessoas que pode introduzir na árvore. Atingido esse limite, terá de pagar para continuar a utilizar o serviço.

A fim de evitar surpresas desagradáveis, leia bem os Termos de Uso do serviço online. 

Algumas recomendações para a utilização de serviços online:

- Certifique-se de que pode tornar toda a sua árvore privada, ou seja, não acessível a pessoas que não possuam uma senha de acesso, ou que não tenham sido convidadas para a sua árvore.

- Não promova ninguém a administrador da sua árvore, a menos que tenha absoluta confiança nessa pessoa.

- Embora os serviços online não disponibilizem publicamente dados relativos a pessoas vivas, não inclua endereços completos, números de telefone, ou outros dados que permitam a localização das pessoas, ou sejam susceptíveis de violar a sua privacidade. A mesma regra se deve aplicar para as pessoas falecidas, no mínimo, há menos de 100 anos. 

- Os serviços online também permitem a importação e exportação dos dados. Utilize a exportação de dados para ficheiro GEDCOM frequentemente. Ficará assim com uma cópia de segurança, sempre actualizada, no seu computador. Esse ficheiro poderá ser usado para importar os dados para outros programas de genealogia.

- Se desejar proteger também as fotografias que partilha, pode adicionar uma marca de água a cópias das mesmas. Existem aplicações que permitem fazê-lo em série, algumas grátis. As marcas de água não impedem a manipulação das fotos por terceiros, mas dificultam, o que, normalmente, desincentiva a cópia e reutilização.

- Não assuma que os dados de outras árvores online estão correctos. Faça a sua própria pesquisa e certifique-se de que está bem documentada. Há milhares de árvores online que se estendem até aos primórdios da Idade Média - algumas até ao bíblico Adão - que carecem de qualquer fundamento científico. Desconfie também dos nobiliários pois é frequente encontrarem-se erros. 

- Use o seu bom senso. Assim como não gostará que o seu trabalho e esforço sejam plagiados por terceiros, outros também não gostarão se o fizer. Seja cortês, contacte as pessoas e peça autorização para utilizar os seus trabalhos, não esquecendo de lhes atribuir o devido mérito nas suas próprias publicações. Partilhe com elas outros dados que possua e que lhes possam interessar. A comunicação entre genealogistas, amadores ou profissionais, é essencial. É através dela que chegamos frequentemente a dados que, de outro modo, permaneceriam obscuros.


Veja também:
Dicas para Principiantes

Originalmente publicado em 28/7/2014
Publicado em: ,

0 comentários:

Enviar um comentário

Biblioteca
Videoteca