Repositório de recursos e documentos com interesse para a Genealogia

Logo

  • Primeiros passos em Genealogia: como começar, onde pesquisar, recursos disponíveis e outras informações.

  • Apelidos de família: de onde vêm, como se formaram.

  • Índices de passaportes, bilhetes de identidade, inquirições de genere e outros.

17 de fevereiro de 2017

17 de fevereiro de 2017 por Paula Peixoto comentários

Relato de Captura
Carlos Olavo Correia de Azevedo (Alferes de Artilharia - 2ª Bateria ,7ª Regimento de Artilharia, 9 de Abril de 1918)

"São 11 da manhã [9 Abril 1918](...). Não há nada mais torturante, angustia maior do que esta incerteza (...). Uma ordenança que mandei ao 1º obus com uma ordem de fogo não voltou mais; dois homens que mandei a um paiol para trazerem umas granadas não voltaram mais! Tenho a certeza de que ficaram pelo caminho feridos ou mortos! (...) Os momentos que se seguiram foram de absoluto recolhimento. Tinha a certeza de que ia morrer. Pensei naqueles que longe chorariam a minha perda: a minha família, alguns amigos seguros, todos os que sofriam a minha ausência (...). Um soldado que tinha saído veio-me dizer que há alemães no Pont du Hem, quer dizer, à retaguarda da nossa posição, vindos dos lados de Laventie. Estamos perdidos, cercados, prisioneiros! (...) Nunca me senti tão desgraçado pelo inesperado de uma situação cuja probabilidade afastei sempre do meu destino. Vencido (...) resolvi sair à frente dos soldados que tinha. Confesso que me dominava um misto de humilhação e de tristeza, por me sentir vencido, sem meios de resistência (...). Quando os alemães me aperceberam, encaminharam-se na minha direcção e o oficial que os comandava apontou-me uma pistola (...). Marchei serenamente, direito a ele, sem um gesto, sem uma palavra (...). O boche baixou a pistola e indicou-me o caminho [para a retaguarda alemã]. Segui então, direito a Neuve Chapelle, pela estrada de La Bassèe (...). Em Neuve Chapelle, parei para ser enquadrado com outros prisioneiros (...) que nos haviam de guardar até o fim do nosso destino."
Fonte: http://www.momentosdehistoria.com/MH_04_03_Coragem.htm

Fonte: Ilustração Portuguesa, 2.ª série, n.º 647, 15 de Julho de 1918


Durante a 1ª Guerra Mundial milhares de pessoas, militares e civis, foram capturadas e enviadas para campos de prisioneiros.
Encontra-se disponível, no site do Comité Internacional da Cruz Vermelha, um arquivo digital sobre esses mesmos detidos e prisioneiros. A pesquisa pode ser feita por nome ou nacionalidade
https://grandeguerre.icrc.org/



13 de fevereiro de 2017

13 de fevereiro de 2017 por Manuela Alves comentários
O nosso amigo Carlos Silva acedeu em partilhar no nosso blog três capítulos de uma obra e cujo texto de apresentação, por ele escrito a nosso pedido, aqui transcrevemos:

A Casa de Assade é um estudo genealógico de João Dias Costa, muito referido entre os investigadores, por ser obra excelente, como fruto de investigação documental, sem ser´, contudo, de fácil consulta.
Faz parte daqueles estudos genealógicos que mais parecem rumor que realidade, de pouca difusão, e que por isso se podem perder, de todo, se o azar assim mandar.
Interessa , não apenas aos estudiosos das famílias do concelho de Barcelos, como também aos que investigam em Santo Tirso e Vila do Conde.
Esta cópia, de fraca qualidade faz partes dos pequenos tesouros inacessiveis e imperdiveis que o saudoso investigador portuense Amaury Machado Carneiro, na sua incansável cata para desencantar obras genealógicas mais discretas, deu a partilhar nessa corrida em revezamento que é a nossa investigação.
Ora partilhar é não só salvaguardar como também uma forma de homenagear o autor.


Sobre a Casa de Assade , património de Grimancelos, freguesia de Barcelos, poderão encontrar informação na página da Junta de Freguesia de Grimancelos.

10 de fevereiro de 2017

10 de fevereiro de 2017 por Paula Peixoto comentários
De acordo com o princípio que norteou a criação deste blog, publicamos aqui trabalhos, alguns elaborados por nós, outros por colaboradores que generosamente decidiram partilhar. Trata-se de índices de baptismos, casamentos ou óbitos, de algumas localidades, muito úteis para quem pesquisa nessas zonas.
Agradecemos a Francisco Ferreira da Silva, Fernando Correia e Paulo César Martins, pela disponibilização dos seus índices que aqui também se partilham.

Aveiro em meados do século XVIII





CONCELHO FREGUESIA REGISTOS ÍNDICE
Oliveira do Bairro Mamarrosa Baptismos
Oiã Baptismos
Oliveira do Bairro Baptismos
Palhaça Baptismos
Oliveira de Azeméis Carregosa Baptismos
Cesar Baptismos
Anadia Ancas Baptismos
Arcos Baptismos
Sangalhos Baptismos Parte I - 1574-1657
Baptismos Parte II - 1657-1669
Óbitos 1675-1694
PDF
PDF
PDF
Aveiro Aradas Baptismos
Vale de Cambra Arões Baptismos
Vila Cova de Perrinho Baptismos
Sever do Vouga Sever do Vouga Baptismos
Casamentos


Actualização 10/02/2017
  • Adicionado link para o índice de baptismos de 1657 a 1669, da freguesia de Sangalhos, elaborado por Francisco Ferreira da Silva.
Actualização 15/11/2016

  • Adicionado o índice de casamentos de Sever do Vouga, 1617-1669, elaborado e partilhado por Paulo César Martins.
Actualização 08/11/2016:
  • Adicionado o índice de baptismos de Sever do Vouga, 1611-1750, elaborado e partilhado por Paulo César Martins.
  • Adicionado o índice de baptismos de Arões, Vale de Cambra, 1866 a 1908, elaborado por Fernando Correia. Este índice refere-se aos seguintes livros, acessíveis a partir do tombo.pt:
    Livro 15, 1866-01-15 a 1866-12-17;
    Livro 16, 1867-01-15 a 1867-12-08;
    Livro 17, 1868-01-02 a 1868-11-06;
    Livro 18, 1869-01-24 a 1875-04-27;
    Livro 19, 1875-05-18 a 1884-05-24;
    Livro 39, 1884-06-08 a 1888-12-30;
    Livro 40, 1889-01-13 a 1893-12-31;
    Livro 43, 1894-01-16 a 1898-12-26;
    Livro 44, 1899-01-15 a 1902-09-07;
    Livro 45, 1902-09-16 a 1905-12-31.
    Livro 48, de 1906-01-14 a 1908-12-13;
    Livro 49, 1909-01-06 a 1911-03-29.
  • Adicionado o índice de Baptismos de Vila Cova de Perrinho, também de Fernando Correia, referente aos seguintes livros:
    Livro 69, 1900;
    livro 70, 1901;
    livro 71, 1902;
    livro 86, 1903;
    livro 87, 1904;
    livro 88, 1905;
    livro 89, 1906;
    livro 90, 1907;
    livro 101, 1908;
    livro 102, 1909;
    livro 103, 1910;
    livro 104, 1911.
Actualização 15/11/2015:
  • Adicionado link para o índice de baptismos de 1574 a 1657, da freguesia de Sangalhos, elaborado por Francisco Ferreira da Silva.


kwADAveiro
Inicialmente publicado em 3 Dezembro 2014
por Maria do Céu Barros comentários

Por Márcia Helena Miranda de Sousa

Maria do Céu pediu-me para tentar responder perguntas recorrentes sobre “seus” imigrantes que vieram para o Brasil. Ficam aqui algumas dicas que poderão ser acrescentadas com outras que forem surgindo.

Os Imigrantes, por Angiolo Tommasi


1 - COMO COMEÇAR: ONDE PEDIR CERTIDÕES PARA SABER NOMES DOS AVÓS E BISAVÓS.

No Brasil os cartórios onde os registros são feitos são chamados de RCPN (Registro Civil de Pessoas Naturais). Uma mesma cidade pode ter vários RCPN e suas filiais, e dependendo de quantos tenha recebem sua numeração (1º RCPN, 2º RCPN, etc.), cada um com sua respectiva área de abrangência. Atualmente existem mais de 13.000 RCPN no Brasil, pelo que é essencial saber onde ocorreu o fato (nascimento, casamento ou óbito), para saber para qual RCPN pedir as certidões.

Os mais difíceis de encontrar são os óbitos, pois a pessoa pode ter passado a vida num bairro (freguesia), mas ter falecido num hospital em outro bairro.

O problema é que dificilmente sabemos onde os fatos ocorreram, e com isto surgem as demandas por pesquisas minuciosas e trabalhosas. Hoje existem vários sítios, que podem ser procurados no Google, oferecendo este serviço de busca e reprodução de registros dos RCPN, mas não posso atestá-los, pois nunca precisei utilizar tal serviço.

As áreas de abrangência destes RCPN mudam ao longo do tempo. Por exemplo, no Rio de Janeiro houve uma grande mudança em 2012, e com isto o 2º e 6º RCPN foram extintos e seu acervo passou para o 3º RCPN, que com isto também assumiu as respectivas áreas de abrangência.

Pesquisar no Brasil sem informações precisas é complicado, pois somos um país GIGANTE! PORTUGAL inteiro tem 92.090 Km2, e população estimada (2014) de 10.374.822. Apenas 6 dos 26 Estados brasileiros têm sua área menor que Portugal. RIO DE JANEIRO tem apenas 43.781,566 Km2 (menos que a metade de Portugal), mas sua população estimada (2016) é de 16.635.996.

O que sempre sugiro é que busque por mais informações em outras fontes, como na Hemeroteca Digital Brasileira, e outros sítios, para aí sim, saber onde procurar seu imigrante. Estes outros sítios de pesquisa sugeridos estão relacionados no blog, no post Pesquisar no Brasil - Lista de Ligações.


2 - IMIGRANTE PORTUGUÊS: ONDE OBTER INFORMAÇÃO SOBRE ESSA IMIGRAÇÃO (FAMILYSEARCH, NAVIOS, ETC.).

Depende de quando foi esta imigração, se é mais recente ou antiga; as mais antigas não existem! O Arquivo Nacional, que possui bancos de dados do Rio de Janeiro, não tem nada online de antes de 1842. Em jornais antigos (Hemeroteca Digital Brasileira) algumas vezes eram publicados os nomes das pessoas que estavam chegando nos barcos. Alguns (poucos) Estados brasileiros possuem sítios para busca destes imigrantes, e eles estão também relacionados no post Pesquisar no Brasil - Lista de Ligações.


3 - CASOS DIFÍCEIS, POR EXEMPLO, QUANDO A PESSOA APENAS TEM UM NOME.

Ter só o nome não é um caso difícil, é um caso impossível, pelas questões acima explicadas sobre a dimensão territorial brasileira; minha sugestão continua sendo buscar mais informações na Hemeroteca Digital Brasileira, ou nos outros sítios sugeridos.



Veja também:

9 de fevereiro de 2017

9 de fevereiro de 2017 por Maria do Céu Barros comentários

Por Márcia Helena Miranda de Sousa

Fazer pesquisas no Brasil não é algo fácil, pela dimensão continental do país e/ou pela falta de fontes de pesquisas em todo seu território.
A primeira “capital” do Brasil foi Salvador (1549-1763), depois a cidade do Rio de Janeiro (1763-1960), e depois Brasília (atual). Gosto muito da imagem abaixo (desconheço o autor), pois ajuda a entenderem a dificuldade que existe em responder quando alguém diz: “Pode me ajudar a encontrar um familiar no Brasil?”
Mas não desistam. Existem muitos recursos online que poderão ajudar. A seguir encontram uma lista de ligações, com uma pequena descrição.

FONTES PARA PESQUISA DE REGISTROS ONLINE

Os REGISTROS CIVIS (nascimentos, casamentos e óbitos) passaram a ser obrigatórios em 1889, e antes disto os registros que existem são PAROQUIAIS, e nossa ÚNICA fonte de pesquisa online é o site FamilySearch, ou seja, o que não estiver lá precisará ser pesquisado pessoalmente. É claro que os registros paroquiais continuaram após 1889, as pessoas casavam no cartório e na igreja, normalmente no mesmo dia.

UNIVERSIDADE VANDERBILT
Possuí livros paroquiais digitalizados. Alguns não estão no FamilySearch.

OUTRAS FONTES POR ÁREA DE ABRANGÊNCIA

1) Todo Território Nacional
2) Alguns Estados Brasileiros
3) Estado Do Rio De Janeiro



1) TODO TERRITÓRIO NACIONAL

* MUSEU IMPERIAL DO BRASIL - O museu é no Estado do Rio de Janeiro, mas pertence à História Nacional.

* IBGE - CIDADES (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) - banco de dados com todos os municípios do Brasil, com informações atuais, e históricas (fundação) de cada uma delas. 

* HEMEROTECA DIGITAL BRASILEIRA (Biblioteca Nacional) (Periódicos antigos de todo o Brasil) – No Acervo Digital pode ser feita a busca nominal de pessoas e eventos. Tive a felicidade de encontrar notas de chegadas de navios, naturalizações, batismos, obituários, proclamas de casamentos, casamentos, e muito mais. Sugestão: procure no Estado que precisar, mas nunca deixei de procurar também no Rio de Janeiro, pois como expliquei antes, foi Capital por muito tempo, e tudo de importante estava em seus jornais.

* CADASTRO NACIONAL DE FALECIDOS - o banco de dados trás o nome das pessoas falecidas no Brasil RECENTEMENTE, ainda está longe de ser ideal, pois faltam muitos cadastros, mas é uma opção de busca. 

* CONCELHO ULTRAMARINO NACIONAL - Projeto Resgate da Biblioteca Nacional (1604-1833). Basta digitar o termo a ser pesquisado para que ele procure nas 31 bibliotecas do banco de dados. 

* DIÁRIOS OFICIAIS DA UNIÃO (DOU) - Nestes DOU já encontrei muita informação, como registro de eleitores (fornecendo a região onde a pessoa morava na época) ou convocação para o serviço militar que normalmente vinha com o ano de nascimento e nome dos pais. O acervo online da Imprensa Nacional (Oficial) compreende apenas o período a partir de 1990, os anteriores podem ser encontrados no sítio do “JusBrasil”, que antes tinha acesso gratuito irrestrito, mas agora para ver o documento completo precisa ser assinante (pagante). Faça buscas de nomes de pessoas através do Google e o resultado o redirecionará para a página do JusBrasil, o texto aparecerá um pouco truncado (erros de OCR) e para ver a folha original do jornal e desvendar o texto correctamente precisa ser "pagante". 

«Antes do Diário Oficial da União, os atos oficiais do Brasil foram publicados nos seguintes veículos impressos:
  • Gazeta do Rio de Janeiro - de 10 de setembro de 1808 a 31 de dezembro de 1822. A Gazeta do Rio de Janeiro foi o primeiro jornal editado e impresso no Brasil, criado no dia 10 de setembro; 
  • Diário do Governo - de 2 de janeiro de 1823 a 20 de maio de 1824; 
  • Diário Fluminense - de 21 de maio de 1824 a 23 de abril de 1831; 
  • Diário do Governo - de 25 de abril de 1831 a 28 de junho de 1833; 
  • Correio Official - de 1º de julho de 1833 a 14 de agosto de 1841; 
  • Jornal do Commercio (privado) -de 5 de agosto de 1841 a 31 de agosto de 1846
  • Gazeta Official do Império do Brasil - de 1º de setembro de 1846 a 1º de julho de 1848; 
  • Correio Mercantil (privado) - de 1º de agosto de 1848 a 23 de outubro de 1848; Diário do Rio de Janeiro (privado) - de 24 de outubro de 1848 a 31 de dezembro de 1854;
  • Jornal do Commercio (privado) - de 1º de janeiro de 1855 a 30 de setembro de 1862».
(Fonte)

Todos estes jornais antigos estão na HEMEROTECA DIGITAL BRASILEIRA já citada.

* BUSCA DE TELEFONES FIXOS E ENDEREÇOS - Antigamente existia um serviço telefônico (102) para ligarmos e perguntar o telefone de uma pessoa ou empresa; existiam listas telefônicas. Mas com a necessidade cada vez maior de privacidade as pessoas pediam para os números não aparecem na lista, e também não temos mais apenas uma operadora de telefonia fixa. Mas alguns sites ainda trazem estas listas, e podemos localizar os telefones e endereços das pessoas (VIVAS!). Um deles é o “102 BUSCA” e o outro é “TELELISTAS.NET”.

* LISTAGENS NOMINAIS DE NATURALIZAÇÕES CONCEDIDAS NO BRASIL
1868 - 1870 1871 1872 1873 1874 1876 1878 1879 1880/1881 - 1881/1882 - 1882 1883 1884 - 1887/1888 1888/1889

ASBRAP - Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia
Contem alguns itens interessantes. Na parte dos “Links” sugeridos, que na verdade não contem apenas links, possui fontes de pesquisa e endereços úteis, no Brasil e fora dele, então, mesmo que alguns links não estejam mais funcionais, os dados são ótimos.

PROJECTO COMPARTILHAR: Este site abriga dados e informações encontradas em documentos. Pesquisam apenas documentos referentes às famílias dos povoadores da antiga Capitania de São Vicente, bem como sua migração para o sul de Minas até meados do século XIX.


2) ALGUNS ESTADOS BRASILEIROS

O sitio está um pouco “truncado”, mas há listagens nominais de Casamentos, Processos Crimes e Inventários de portugueses, espanhóis, italianos e marroquinos daquele deste Estado. Desconheço a extensão dos dados  (período, cidades, etc.).

* ESPÍRITO SANTO - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo (APEES) possui uma base de dados de “Registro deEntrada de Imigrantes” 

* MINAS GERAIS
  • Arquivo Público Mineiro, nele é possível fazer buscas nominais de registros de imigrantes entre 1888-1901
  • Arquivos digitalizados de Mariana - primeira cidade e capital de Minas Gerais.
    Depois de inscrever-se, vá em instrumento de pesquisa onde há uma lista cronológica e outra onomástica; abra a lista e identifique o ano e o processo.
  • Registros paroquiais de terras públicas: estão publicados aqui no blog alguns índices de registros paroquiais de terras particulares 
* PERNAMBUCO
Recife - Encontra aqui no blog alguns índices dos nomes nos livros de registo de passaportes 1761-1830

*RIO GRANDE DO SUL
Capitania do Rio Grande de São Pedro: índice de casamentos do livro 1 do Rio Grande, RS. Neste índice a maioria dos nubentes são naturais dos Açores.

* SÃO PAULO 



3) ESTADO DO RIO DE JANEIRO

BAIRROS ANTIGOS DO RJ - manipulando o mapa perceberá que ele fornece os limites dos bairros/freguesias antigos e atuais da cidade.

* FAMILYSEARCH: Algumas dioceses não permitiram que os livros de suas paróquias fossem microfilmados, o que nos deixa com uma lacuna enorme nas fontes. Dois exemplos no Estado são a Diocesede NOVA FRIBURGO e a de CAMPOS (Campos dos Goytacazes). Se precisar de algo de suas paróquias terá que entrar em contato diretamente com elas.

  • Municípios da Diocese de Nova Friburgo: Barra de São João, Bom Jardim, Cachoeiras de Macacu, Cantagalo, Carapebus, Carmo, Casimiro de Abreu, Conceição de Macabu, Cordeiro, Duas Barras, Itaocara, Macaé, Macuco, Nova Friburgo, Quissamã, Rio das Ostras, Santa Maria Madalena, São Sebastião do Alto, Sumidouro, e Trajano de Moraes.
  • Municípios da Diocese de Campos: Aperibé, Bom Jesus do Itabapoana, Cambuci, Campos dos Goytacazes, Cardoso Moreira, Italva, Itaperuna, Laje do Muriaé, Miracema, Natividade, Santo Antônio de Pádua, São Fidélis, São Francisco do Itabapoana, São José de Ubá, Porciúncula, São João da Barra, e Varre e Sai.
* REGISTROS PAROQUIAIS DE TERRAS DE MEADOS DO SÉCULO XIX (Arquivo Público do Estado do RJ)

* ESTRUTURA FUNDIÁRIA DO RECÔNCAVO DA GUANABARA (1635-1770) - neste podemos encontrar transcrições dos registros de compra/venda/doação de terras no período. Apesar de o sítio estar com as datas 1635-1770 encontrei informações entre 1573-1787. Não precisa selecionar coisa alguma, basta colocar o nome da pessoa que quer pesquisar no campo “Descrição”.

* BASE DE DADOS DO ARQUIVO NACIONAL - os documentos não estão online (precisam ser solicitados), mas há várias bases de dados para pesquisa, numa delas – Base de dados Acervo Judiciário do Arquivo Nacional – é possível encontrar registros de nascimentos, habilitações para casamentos, inventários e outros.

* PORTAL EXTRAJUDICIAL DO RIO DE JANEIRO (Corregedoria Geral da Justiça do Estado do RJ) - Entre variadas funções há um mapa que permite localizar todos os cartórios do Estado; lembrando que é nos RCPN (Registro Civil de Pessoas Naturais) que são feitos/arquivados os registros civis (nascimentos, casamentos e óbitos). 

* LISTAS NOMINAIS DE PASSAGEIROS DOS VAPORES DO PORTO DO RIO DE JANEIRO (1875-1963) - Para consultá-lo primeiro precisará fazer um cadastro (gratuito) no SIAN (Sistema de Informações do Arquivo Nacional) () e depois que estiver “logado” poderá consultar as “Listas Nominais de Passageiros dos Navios”.

* PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (PJERJ) nele há dois bancos de dados muito úteis:
  • 1) MUSEU DA JUSTIÇA - Selecionando "Parte" (pessoa envolvida no processo) é possível buscar nominalmente por pessoas que tiveram processos desde 1751, e se dar sorte, encontrar pistas de algum familiar. Encontrando o processo, o mesmo poderá ser solicitado (não estão disponíveis online).
  • 2) CONSULTA NASCIMENTO E ÓBITO - serve para encontrar registros feitos no Estado a partir de 01/Ago/2007 (data informada no BD). No caso dos óbitos, no resultado aparece a data de nascimento da pessoa, os nomes dos pais, quando a pessoa faleceu e onde está o registro (cartório, livro, nº da folha e do termo).
* DETRAN/RJ - Certidões de Nascimento/Casamento. Tendo os dados solicitados poderá saber em qual cartório, livro e folha está o registro da pessoa pesquisada. Muitas certidões ainda não estão cadastradas no sistema, e refere-se apenas a dados recentes.

* REVISTAS DO IHGB (Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro)


Veja também:
Pesquisando neste blog pela etiqueta Brasil, encontrará mais artigos relevantes. Na Biblioteca, na estante Emigração, encontra também publicações muito interessantes sobre esta temática.

Originalmente publicado em 25/07/2014

8 de fevereiro de 2017

8 de fevereiro de 2017 por Maria do Céu Barros comentários
De acordo com o princípio que norteou a criação deste blog, publicamos aqui alguns trabalhos elaborados por colaboradores para seu uso próprio e que, generosamente, decidiram partilhar. Trata-se de índices de baptismos, casamentos ou óbitos, de algumas localidades, muito úteis para quem pesquisa nessas zonas.
Agradecemos ao Edmundo Vieira Simões e à Laura Santos, pelos índices de Chancelaria e de Mata Antiga, assim como a José Fernando Maltez pelo índice da Golegã.

Cerco ao castelo de Torres Novas

Concelho
Freguesia
Registos
Datas/Índice
Actualizado
Torres Novas
Chancelaria
Casamentos
1677-1712 (1)

Chancelaria
Mata 
Baptismos
2/5/2015
Casamentos
2/5/2015
Óbitos
2/5/2015
Lapas
Casamentos 1839-1859 (2)
8/2/2017
Golegã
Golegã
Baptismos 1859 - 1911 (2)
6/4/2016


(1) Livro de Casamentos 1, existente na Torre do Tombo, mas ainda não descrito no site.
(2) Livros não estão online.

Originalmente publicado em 19/4/2015
kwADSantarem
por Maria do Céu Barros comentários
No próximo dia 16 deste mês de Fevereiro, sob os auspícios da Direcção-Geral do Património Cultural e da Embaixada do Brasil, será lançado na Sala do Capítulo do Mosteiros dos Jerónimos o livro “Pernambuco Revolucionário — Relações com a Coroa e vicissitudes de seus Bispos”, do qual é co-autor Hernâni Maia, membro do nosso grupo no Facebook, e colaborador também deste blog.

Trata-se duma biografia historiográfica rigorosa duma figura nascida no Porto - Frei José Maria de Araújo - e que se distinguiu, ainda que efemeramente, no historicamente denso e rico panorama socio-político de Portugal na viragem para o século XIX. Na elaboração deste trabalho foram usados e citados documentos do Arquivo Secreto do Vaticano, do Arquivo Nacional Torre do Tombo, da Fundação Biblioteca Nacional do Brasil (Projeto Resgate), entre outros, e também dos Arquivos Distritais do Porto, de Vila Real e de Viana do Castelo para o levantamento genealógico do biografado. 

Resumo:
Na viragem do séc. XVIII para o séc. XIX, sabe-se em Lisboa que existem em Pernambuco sementes de independência, em parte inspiradas na Revolução Francesa e na subseqüente tomada do poder por Napoleão Bonaparte. Nesse tempo estavam a chegar ao Recife licenciados pela Universidade de Coimbra trazendo consigo o sentido algo revolucionário e reformador do Marquês de Pombal, que passou a usar a Igreja como agente político e veículo de politização, para tanto baseado no novo acordo que fizera com a Santa Sé. A Coroa queria enviar para Olinda um bispo da sua confiança, do melhor que houvesse então em Portugal, para tentar re-encaminhar o Seminário no “bom sentido” dos interesses portugueses; Frei José Maria de Araújo foi o escolhido. Mas forças ocultas, eventualmente estimuladas pelo caráter autoritário e algo conflituoso do bispo cessante, manobraram na sombra para que este processo se atrasasse, dando assim tempo para que a ação do novo bispo fosse menorizada e neutralizada. Tudo viria afinal a culminar com a sua morte, acidental ou provocada, mas que de qualquer forma conviria para aqueles que defendiam a conspiração a favor da independência. São relatadas consequências de todo este imbróglio para o destino de uma família entre as muitas que foram apanhadas nos conflitos.

Pelo material nele contido e citado, este livro poderá vir a constituir uma contribuição de referência para a história do relacionamento entre Portugal e o Brasil, relativo à época a que se reporta. Nele são referidas as Invasões Francesas no Porto e em Lisboa, a Revolução Francesa, a Maçonaria, a transferência da Família Real para o Brasil, a prisão dos Papas, a crise na exportação do vinho do Porto, em suma, o ambiente de enorme incerteza e instabilidade económica, social e política que se viveu durante as investidas de Napoleão Bonaparte.

O livro foi prefaciado por Maria Cristina Cavalcanti de Albuquerque, autora brasileira de vários livros incidindo sobre a História de Pernambuco, em ligação com a biografia dos seus antepassados, fundadores e colonizadores desta parte do Brasil e, mais tarde, promotores da Revolução Pernambucana de 1817 que precedeu a independência do Brasil. O livro está recomendado como uma das leituras associadas com a Celebração do Bicentenário da Revolução, cuja cerimónia de abertura terá lugar no próximo dia 12 de Março no Recife.

A natureza deste trabalho torna-o interessante também para muitos genealogistas de Portugal e do Brasil. O índice do livro pode ser consultado no Repositório da Universidade Católica Portuguesa.

Publicado pela LF Editorial, de São Paulo, infelizmente, não está a ser comercializado em Portugal, embora tenham sido importados livros em quantidade suficiente para a sua divulgação e venda, durante este lançamento em Lisboa e uma apresentação que terá lugar em 4 de Abril na Reitoria da Universidade do Porto, mas que ainda se encontra em preparação.
Os genealogistas brasileiros que estiverem interessados poderão adquirir o livro na LF Editorial de São Paulo e também em algumas livrarias brasileiras que o anunciam online.

A sessão de lançamento será aberta, pelo que aqui publicamos também o Convite para a apresentação do livro (clicar na imagem para aumentar).

2016, Hernâni L.S. Maia, Raquel Gonçalves-Maia, Gilda Whitaker Verri e Eduardo Duque, "Pernambuco Revolucionário — Relações com a Coroa e vicissitudes de seus Bispos", LF Editorial, São Paulo, Brasil

4 de fevereiro de 2017

4 de fevereiro de 2017 por Manuela Alves comentários
Uma das dificuldades que deparamos quando consultamos os registos paroquiais é a localização geográfica das referências feitas pelas párocos. Com efeito, muitas vezes as referências são feitas com base nas divisões eclesiásticas ou nos oragos, com que estavam naturalmente mais familiarizados, e isso traz-nos embaraços, pois nem sempre é fácil encontrar informações sobre o assunto. Seria injusto não referir os esforços feito por alguns Arquivos, no sentido de enriquecer as descrições arquivísticas dos seus fundos, ao apresentar historicamente enquadrados os conjuntos documentais disponibilizados.
Partilhamos, na estante Geografia Eclesiástica ,um trabalho sobre as freguesias da Diocese do Porto, da autoria do Padre Domingos A. Moreira. publicado no Boletim Cultural da Câmara Municipal do Porto em 1972. Além dos oragos, inclui uma lista de designações paroquiais diferentes das habitualmente conhecidas (uma preciosa informação).
Esta partilha é do documento tal com estava guardado no meu computador. Os interessados no artigo completo, que inclui a bibliografia consultada pelo autor, podem recorrer à Biblioteca  dos Assuntos Portuenses do Arquivo Histórico Municipal do Porto ou solicitar fotocópias (fazem orçamento e é pagável por multibanco).
A diocese do Porto compreende 26 concelhos: 17 pertencem ao distrito do Porto, 8  ao distrito de Aveiro e 1 ao distrito de Braga.
por Manuela Alves comentários
Foi colocada na Biblioteca do Blog uma nova estante  intitulada "Geografia Eclesiástica" 
Nela pretendemos reunir publicações disponibilizadas on line, devidamente identificadas, que permitam aos nossos seguidores contextualizar as suas investigações genealógicas dentro dos princípios que nos norteiam desde o início: de forma gratuita e respeitadora dos direitos dos seus autores, publicando a sua proveniênca, sem subterfúgios, e utilizando meios gratuitos, exigidos pela nossa recusa de qualquer forma de patrocínio.
Assim, e com o  intuito de melhor gerirmos os recursos disponíveis, adicionamos unicamente excertos de obras de maior folêgo, como por exemplo teses universitárias, das quais seleccionamos apenas os capítulos relevantes para os objectivos do blog - fornecer informação de interesse genealógico de forma acessível, aproximando,  o mundo do saber especializado do público  comum e democratizando, por este meio, a Cultura. A identificação da obra original  permitirá aos interessados a leitura integral da mesma on line

 João Rocha Nunes. A reforma católica na diocese de Viseu. (1552-1639). Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. 2010:
 Capítulo 1 - O espaço diocesano 
III PARTE Capítulo 2 - A reforma do clero
2.7 - Os registos paroquiais pp. 210-215 



21 de janeiro de 2017

21 de janeiro de 2017 por Maria do Céu Barros comentários
Adicionada na Biblioteca, na estante Sociedade, esta análise da relação existente entre os casamentos consanguíneos e a manutenção ou aquisição de bens, onde são analisadas dispensas matrimoniais existentes no Arquivo Distrital de Braga dos anos de 1848 e 1871, desde a forma como era organizado o processo, até às justificações dadas para a necessidade do casamento entre parentes.

Vitória Fernanda Schettini de Andrade

Resumo: Adentrar pelos caminhos que envolvem a posse da terra e as formas com que se organizavam as famílias em solo brasileiro, não é possível, sem fazer uma reflexão e análise a partir da matriz portuguesa. Somos herdeiros de traços sociais criados e transmitidos por este país, mesmo sabendo das características e particularidades de cada espaço abordado. Partindo do pressuposto que é necessário voltar a matriz portuguesa para o entendimento das semelhanças e diferenças instituídas no Brasil, o presente trabalho propõe analisar a relação existente entre os casamentos consanguíneos e a utilização deste mecanismo para manutenção ou aquisição de bens, mais especificamente a posse e o uso da terra, nas regiões de São Paulo do Muriahé, Zona da Mata Mineira e a região do Minho, no século XIX. Serão utilizados livros de casamentos da Matriz São Paulo, em Muriaé e livros de Dispensas Matrimoniais de Mitra, na região portuguesa, além de inventários post-mortem e fontes testamentais.
Acredita-se que trabalho possibilitará ampliar o entendimento sobre a questão agrária entre as duas margens e as estratégias adotadas na composição e organização das famílias.

kwADBraga
por Genealogia Fb comentários
De acordo com o princípio que norteou a criação deste blog, publicamos aqui trabalhos, alguns elaborados por nós, outros por colaboradores que generosamente decidiram partilhar. Trata-se de índices de baptismos, casamentos ou óbitos, de algumas localidades, muito úteis para quem pesquisa nessas zonas.
Agradecemos ao Joaquim Martins os índices de casamentos de Calendário, Esmeriz e S. Paio de Seide, V. N. de Famalicão.

Rua Nova de Sousa e Porta Nova, Braga

Dica: Clique no nome do livro para o abrir; clique na data para abrir o índice excel
Concelho
Freguesia
Registos
Livro
Datas/Excel
Actualizado
Amares
Santa Marta de Bouro
BaptismosLivro 9 1749 a 1750Completo
Braga
Sequeira
BaptismosMisto nº. 907 1575 a 1651Completo
CasamentosMisto nº. 907 1594 a 1651Completo
ÓbitosMisto nº. 907 1587 a 1651Completo
Guimarães
Santa Maria da Oliveira
Casamentos Vários 1592 a 1910 Vide nota
2
Infantas
Casamentos Livro P-467
Livro P-468
1628 a 1655
1657 a 1729
Completo
Completo
Ronfe
Casamentos Vários 1566-1920 Vide nota
2
Sande - S. Clemente
Casamentos Livro P-682 1631 a 1714Completo
Póvoa de Lanhoso
Ajude
Óbitos
1752 a 1811
1811 a 1859
1908 a 1911
Completo
Completo
Completo
Famalicão
Calendário
Casamentos
1631 a 1911 Em actualização
Esmeriz
Casamentos 1611-1911 Completo
Seide - S. Paio
Casamentos 1635-1909 Completo
Lagoa
Casamentos 1657-1911 Completo
Vila Verde
Prado
(São Miguel)
Baptismos Livro 496
Livro 496A1
Livro 497
1622 a 1645
1647 a 1656
1669 a 1678
Completo
Completo
Completo
Casamentos Livro 496
Livro 496A1
Livro 497
1622 a 1644
1645 a 1653
1669 a 1678
Completo
Completo
Completo
Óbitos Livro 496
Livro 496A1
Livro 497
1622 a 1645
1645 a 1656
1669 a 1677
Completo
Completo
Completo

1 - Livro não está online
2 - Índice foi transcrito da base de dados do NEPS, da autoria de Maria Norberta Amorim; à excepção de algumas correcções pontuais, o índice não foi revisto/completado pelo GenealogiaFB. Poderá conter alguns registos sem a filiação dos nubentes que, no entanto, se encontra nos respectivos assentos.


Originalmente publicado em 22/4/2015
kwADBraga

18 de janeiro de 2017

18 de janeiro de 2017 por Manuela Alves comentários
Indo ao encontro de solicitações feitas no nosso grupo do Facebook para serem divulgadas obras que ajudassem a contextualizar os dados demográficos, percepcionados através da reconstituição das genealogias familiares, acrescentamos à nossa biblioteca, na estante Demografia, alguns trabalhos nesse âmbito, disponíveis em linha.  
Naturalmente, começamos por aqueles que nós conhecíamos e ligados ás áreas de investigação familiar. Outros se seguirão...


16 de janeiro de 2017

16 de janeiro de 2017 por Maria do Céu Barros comentários
Por ter ascendência em Sedielos (Peso da Régua), freguesia cujos primeiros livros paroquiais são de consulta difícil, Hernâni Maia decidiu elaborar uma base de dados em formato digital com os conteúdos dos três primeiros livros (M1, M2, M3 e parte do M4, ou, na versão informática DigitAtq, 188, 189, 190 e 191), cobrindo um período que vai de 1565 a 1720, aproximadamente. 

Trabalhadores das vindimas levando as uvas para o lagar.

Construíram-se inicialmente quatro bases de dados contendo toda a informação relevante recolhida nos dois livros relativamente aos baptismos, aos crismas, aos casamentos e aos óbitos(...). A seguir construiu-se uma BASE DE DADOS global contendo toda a informação das quatro bases de dados originais, mas organizada por famílias. Então, por comparação e cruzamento dos dados assim adquiridos, efectuados por pesquisa recorrendo à função de busca, foi possível completar muitos dos registos originais com os nomes dos pais (principalmente o da mãe) e dos cônjuges (principalmente o da mulher) que estavam omissos e, ainda, da aldeia ou lugar da sua residência.

Para além da indexação dos registos, o autor faz também a reconstituição das famílias, disponibilizando amavelmente neste blog, os seis volumes que constituem este excelente trabalho, cada um deles com uma introdução onde encontram informação detalhada sobre os dados neles constantes.

Nota: os documentos contém um sistema de navegação interna, através de marcadores e hiperligações, que apenas funcionam depois de os ficheiros serem transferidos para o computador. É aconselhável, por isso, fazerem a transferência para que possam tirar proveito dessas funcionalidades.


Volume Título Descrição Actualizado
1
BD-S Famílias e Pessoas em Sedielos Base de Dados Principal 16-01-2017
2
BD-SA1 Casais em Sedielos Base de Dados Auxiliar 16-01-2017
2
BD-SA2 Homens com estado em Sedielos Base de Dados Auxiliar
Esta base é derivada da BD-SA1, mas com outras opções de pesquisa. Vide Actualização de 24/10/2015, mais abaixo.
16-01-2017
3
BD-S Baptismos Índice 1590-1720 16-01-2017
4
BD-SC Crismas  Índice  16-01-2017
5
BD-SM Matrimónios Índice 1593-1720 16-01-2017
6
BD-SO Óbitos Índice 1588-1720 16-01-2017

Actualização 16-01-2017
Esta nova versão já inclui parte do livro M4, até 1720 em todos os ficheiros, enquanto a versão anterior terminava no fim do livro M3, isto.é, por volta de 1703 — o que corresponde a uma ampliação em cerca de 15 %. Esta ampliação permitiu a correcção de alguns erros da parte terminal da versão anterior. A base de dados principal (BD-S) foi também reformatada de molde a ficar com uma estrutura mais simple e mais racional.

Actualização de 24/12/2015
Versão aumentada, mas também corrigida, pois embora a informação recolhida no livro M3 tenha permitido confirmar como certas muitas das propostas incluídas na versão anterior, também permitiu corrigir outras que na verdade não se justificavam — e também completar muita da informação compreendida nos dois livros anteriores.

Actualização de 24/10/2015:
Foram feitas várias emendas e correcções nas bases de dados e índices.
O ficheiro “2 BD-S Casais em Sedielos” foi substituído pelo novo “2 BD-SA1 Casais em Sedielos” e acrescentou-se um novo, derivado deste, em que a coluna “Mãe” foi trocada pela coluna “Pai”, designado “2 BD-SA2 Homens com estado em Sedielos. Este novo ficheiro é especialmente útil para localizar “[homem] morador em …”, isto é, “(nome de homem)tab(lugar)” enquanto o anterior permitia (e permite) procurar “[mulher] moradora em …”, isto é, “(nome de mulher)tab(lugar)”.

O autor agradece todas as emendas, sugestões ou comentários que queiram ter a amabilidade de comunicar, para que possa proceder a correcções.


Originalmente publicado em 21/4/2015
kwADVilaReal
por Manuela Alves comentários
Só agora me ocorreu trazer para o blog o artigo em epígrafe, com visual pdf, graças a alguém com quem partilhei há dias, as minhas toscas fotocópias, já publicadas em ficheiros num dos grupos de genealogia do FB, há algum tempo.
Foi graças ao Carlos Silva, que divulgou o título no fórum do Geneall em 2012, que o fiquei a conhecer.


É um inventário dos cristãos-novos de Barcelos, escrito nos finais do século XVI, começando cada família com o judeu baptizado, dando o seu nome original e o nome que então adoptou. Informações mais completas encontram nesta publicação de Luís de Bívar Guerra (1904-1979).


Sobre a comunidade barcelense encontrei este interessante blog, escrito em galego, de onde copiei a fotografia.

kwADBraga

12 de janeiro de 2017

12 de janeiro de 2017 por Genealogia Fb comentários
Retomamos, neste início de 2017, um projecto iniciado em 2014, agora enriquecido com a experiência ganha, entretanto, e melhorado no seu aspecto visual e informativo. É um dicionário construído com termos ligados a profissões, caídos em desuso, ou cujo significado é pouco conhecido, que nos vão surgindo no decorrer das nossas investigações.

Fiéis aos nossos princípios, fizemos questão de associar ao dicionário os contributos dados no nosso grupo do Facebook pelos nossos companheiros de jornada, assim como as fontes utilizadas para a sua elucidação. Estas podem ser consultadas no separador "Fontes", localizando o respectivo número na lista.

 


Biblioteca
Videoteca